domingo, 21 de agosto de 2016

ZÉ VIEIRA, DE BACABAL, E LUIZ OSMANI, DE LAGO DA PEDRA, TÊM CANDIDATURAS IMPUGNADAS: SÃO "FICHAS-SUJAS!"

Zé Vieira, com Flávio Dino, governador: vai ser preciso muito empurrão, para se livrar da impugnação.

Luiz Osmani: vai ter que vencer um 'inimigo' já esperado: as contas rejeitadas.

ZÉ VIEIRA E LUIZ OSMANI TÊM CANDIDATURAS IMPUGNADAS: OS DOIS SÃO ‘FICHAS-SUJAS’.

Os candidatos ao cargo de Prefeito, nas cidades de Bacabal e Lago da Pedra, respectivamente, Zé Vieira e Luiz Osmani, têm que dividir o tempo de campanha com as audiências, na Justiça Eleitoral. Eles têm que aumentar a ‘despesa’, com advogados.

O motivo, é que o Ministério Público entendeu de preservar o eleitor, tentando eliminar da campanha os dois ex-prefeitos... os dois são inelegíveis, da cabeça ao último dedão do pé; eles fazem parte da feia e pejorativa lista dos chamados “fichas-sujas”, cuja ‘nomenclatura’ dispensa qualquer comentário adicional.

O eleitor menos avisado, poderia até achar que Zé Vieira e Luiz Osmani, quando foram ao Cartório Eleitoral, na hora de fazer o registro da respectiva candidatura, a ficha deles caiu no chão e sujou, com terra e/ou lama, daí aquele nome feio.

Na verdade, a ficha dos dois pretendentes, na disputa – Zé Vieira e Osmani, está sujinha, pelo fato de que, “ambos os dois” (tem que ter pleonasmo, na história), ficaram sujos, há anos, por terem tido as contas de gestão, reprovadas, tanto pelo Tribunal de Contas do Estado – TCE, como pelo Tribunal de Contas da União – TCU.

A situação jurídico-eleitoral dos dois, por isso, não é nada boa, já que eles têm que provar que estão aptos e regulares, acima de 100%, ou seja, é uma tarefa acima de impossível. A tarefa dos dois, é quase como provar que a Terra é quadrada. E nesse caso, seria preciso uma ajudinha do físico italiano Galileu, que afirmou, há séculos, que a Terra é redonda. Como se vê, está mais do que complicado, o negócio.

No caso de Luiz Osmani, nem mesmo a brecha criada pelo STF, no dia 10 de agosto, resolve a sua situação, já que suas contas foram reprovadas e confirmadas, 159 vezes, pela Câmara de Vereadores de Lago da Pedra.

Na impugnação do MPE à candidatura de Zé Vieira, em Bacabal, o que mais se vê é documento vindo do TCU, com reprovação de contas. No caso dele, se houver prova de que a Câmara de Vereadores de Bacabal confirmara o mal feito, já era: a impugnação está 100% garantida; o eleitor, também, por ficar livre de uma opção, cuja ficha pessoal não traz ‘boa recomendação’.

É bom o eleitor das duas cidades analisar bem a providência judicial, pois quem formulou as ações de impugnação não foi um partido político, coligação ou mesmo um candidato.  As ações vêm do Ministério Público Estadual, que, em tese, tem apenas um lado: o da sociedade, constituída por cidadãos e cidadãs de bem, que desejam o melhor para suas vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário