sexta-feira, 14 de abril de 2017

PREFEITURA DE PAULO RAMOS FOI OBRIGADA A CERRAR CADEADO NA ENTRADA DO RESIDENCIAL "MORADA NOVA", POR ORDEM JUDICIAL.

Residencial "Morada Nova": IAC retoma os trabalhos..

O ‘TIRO SAIU PELA CULATRA’.... DEUSIMAR “CERRA” SILVA FOI OBRIGADO A CERRAR O CADEADO COLOCADO NO RESIDENCIAL “Morada Nova”.
Ao que tudo indica, parece que o plano do Prefeito de Paulo Ramos, Deusimar Serra – PCdoB, de ‘tocar’ as Obras do Residencial “Morada Nova”, num bairro da cidade, ‘entrou água’, com a decisão da Justiça Federal, de suspender, nesta semana, um Embargo que a Prefeitura, comandada por ele, fez no começo de fevereiro deste ano.
Na ocasião do Embargo da Prefeitura (fevereiro), quem esteve na Obra do Residencial, em nome da Administração Municipal, foi João Pereira Filho, irmão de Deusimar Serra. Naquela oportunidade, a obra foi ‘interditada’, inclusive, com uso de cadeado – uma medida completamente fora de padrão, ou melhor, de rumo, já que tal prática configura uma espécie de verdadeiro confisco. Se a moda pega, daqui uns dias, se a Prefeitura entender de interditar uma obra residencial, terá que obrigar o dono a sair dela, sem poder ficar ali. A interdição é uma medida que só deve alcançar a obra, ou seja, os serviços, ali realizados. Como, então, botar um cadeado em obra alheia? Meter cadeado em obra alheia é algo inédito na história das interdições administrativas de todo o País.
A Prefeitura teve que cerrar o cadeado, na quarta feira, o mais rápido possível, sob pena de pagar multa de R$ 2 mil. A multa era assim: se o atraso fosse de dois dias, ela seria de R$ 4 mil, e se a demora atingisse o terceiro dia, a multa atingiria R$ 6 mil, e assim por diante... qualquer calculadora faz a conta, mesmo aquelas do ‘Paraguai’.
Mas ao contrário do que apurado pelo Blog, a Prefeitura de Paulo Ramos não cumpriu a ordem de suspender o Embargo, na sua integralidade, uma vez que sequer intimou o responsável pela Obra do Residencial “Morada Nova”, a respeito, apesar de ter enviado servidores àquele local, na tarde da quarta-feira, – situação que pode exigir denúncia na Justiça Federal, para impor multa ao Prefeito Deusimar Serra.
Agora, é aguardar os próximos lances. Mas, Deusimar Serra concordando ou não, a condução da Obra do Residencial ficará sob o comando do IAC, na pessoa de seu Presidente, Clodoaldo Fonteles, que garante que já protocolou nova documentação na Caixa Econômica Federal, visando garantir o recomeço dos trabalhos do programa, para acelerar os serviços e garantir o cumprimento do cronograma do Projeto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário