sexta-feira, 17 de novembro de 2017

POLÍCIA FEDERAL FAZ GOVERNADOR DO MARANHÃO TER UM 'DIA DE CÃO'...

Rosângela Curado, que foi presa, entre Flávio Dino e Márcio Jerry, Secretário de Articulação.

POLÍCIA FEDERAL FAZ GOVERNADOR DO MARANHÃO TER UM ‘DIA DE CÃO’....
É provável que os dias anteriores de Flávio Dino, no Governo do Maranhão, não suplantem, jamais, as dificuldades vividas no dia de ontem – quinta-feira, 16, quando agentes da PF ‘desbravaram’ as dependências do prédio da SES – Secretaria de Estado da Saúde, em busca de colher material para agasalhar inúmeras acusações sobre malversação/desvio de dinheiro público, fora as prisões efetuadas de gente de seu Governo, a exemplo de Rosângela Curado e outros personagens...
Pode-se alegar ‘coisas no ar’ sobre a operação, denominada “Sermão aos Peixes”, em continuação, mas não há como negar o óbvio: o escândalo que já vinha sendo anunciado, há meses, sem uma contrapartida em termos de resultado prático sobre os malfeitores e seus destinos...
E não se pode dizer que a lista contempla gente ‘não-graúda’, pois isso é o de menos...
Os estragos da Operação são visíveis ao Governo, a tal ponto de deixar o mandatário e seus principais assessores perplexos, além da conta. As explicações dão conta disso, pois a Nota da Administração lançada chega a pecar, logo em seu início, ao mencionar que “os fatos têm origem no modelo anterior de prestação de serviços de saúde, todo baseado na contratação de entidades privadas, com natureza jurídica de organizações sociais, vigente desde Governos passados”.
Ora, ora!
Essa explicação, em que pese soar como um acinte, constitui-se um atestado de desprezo ao contribuinte maranhense, que se obriga a ver reduzida sua capacidade de processar fatos tão importantes, decorrentes de condutas tão perversas aos interesses supremos da coletividade, logo num dos mais importantes órgãos, cuja missão é mirar o respeito à vida, por veicular a saúde, como proposta-central...  
A falta de uma atuação de enfrentamento, por parte do Governo, ao rol de peripécias tão graves, é fator indicativo de que o Governador Flávio Dino está atolado na lama que ele próprio produziu, a despeito de lançar desculpas para tempos de gestores diversos – um comportamento ‘tipo-avestruz’.
O atual Governador, talvez, por dispor de poucas alternativas diante do escândalo, comporta-se como um técnico de futebol que, diante do resultado desastroso de sua equipe, debita o insucesso ao modelo tático do técnico que lhe antecedeu. Simplesmente, uma clara demonstração de incapacidade de enfrentamento honesto, envolvendo situações sérias, a merecer uma resposta satisfatória, pelo bem da moralidade, em favor da proteção da Gestão.
Agora, é torcer para a nódoa não chegar ‘mais longe’...

Nenhum maranhense de juízo intacto deseja o pior. Mas se a gravidade da situação já revelada, tiver que anunciar ‘mais coisas’, que o faça logo, para que o Governo possa encontrar forças para dizer e comprovar que, realmente, existe, não somente de direito, mas de fato também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário