sábado, 12 de maio de 2018

EX-PREFEITO É CONDENADO À PRISÃO POR EXTERMÍNIO DE CACHORROS.... O CASO REPERCUTIU NO MUNDO!

imagem meramente ilustrativa..

EX-PREFEITO É CONDENADO À PRISÃO POR EXTERMÍNIO DE CACHORROS... O CASO REPERCUTIU NO MUNDO!

Já se sabe que alguns políticos brasileiros são chegados a cometer algumas atrocidades: eles atrasam o desenvolvimento, quando não investem na Educação, como deveriam; eles desviam o dinheiro da merenda escolar, naquelas falcatruas que a Televisão mostra quase todos os dias. Alguns Gestores (Prefeitos e Governadores também) matam, quando deixam os Hospitais sem remédios e/ou estrutura adequada para o bom funcionamento, em prol da população, notadamente carente. Muita das vezes o contribuinte paga como a vida mesmo, lamentavelmente. Alguns casos ficam por isso mesmo!

O caso do ex-prefeito de Santa Cruz do Arari/PA, Marcelo Pamplona, é um exemplo de ‘inovação’ em matéria de criminalidade, pelo alto grau de insensibilidade com a vida alheia, mesmo em se tratando de animais, já que estes (cachorros, gatos, jumentos, cavalo, e aqueles da fauna silvestre) também recebem a proteção do Estado, em Lei que trata das ofensas contra eles como crime, e não mais como mera contravenção, como ocorria no passado.

O ex-prefeito Marcelo Pamplona, numa daquelas ideias mirabolantes, para solucionar problemas urbanos, entendeu de recolher os cachorros de sua Administração, os de rua (bem entendido), confinando-os em locais, onde não recebiam comida, nem água, tudo proposital, com a ajuda de ‘assistentes’. Outros animais da mesma raça, em Santa Cruz, eram jogados no rio, mas não para aprender a nadar: a intenção era achar um meio de matar, do modo mais cruel possível, já que os bichinhos se afogavam, ainda mais em condições de fraqueza física. O referido ex-gestor, para conseguir o seu intento de eliminar a grande população de cachorro das ruas, supostamente, numa campanha de saúde pública, chegava a oferecer dinheiro para a captura dos animais (R$ 10 para fêmeas e R$ 5 para machos). Os animais em tais capturas chegavam a ser arrastados, de forma cruel, já que eram lesionados, inclusive com perda de partes do corpo, tudo provado através de vídeos e fotografias – o que serviu para embasar a denúncia criminal, em 2013, a qual foi assinada, também pelo Procurador de Justiça do Estado. O ato do malvado e insensível ex-gestor, acredite, era fomentado por anúncios numa Rádio local. Ficou difícil para fazer a defesa, viu!

A matança e os maus-tratos, seguiram-se: 400 cachorros foram dizimados... um verdadeiro extermínio, tanto que o caso ganhou repercussão mundial.

A Secretaria de Saúde do Estado do Pará reconhece que o contingente de cães, em algumas cidades do Estado, é uma questão de saúde pública, já que os animais andam pelo Mercado Público e outros locais, defecando e mijando, além de serem veículo de carrapatos, o que traz doenças para muitas crianças. Mas ressalta que a intervenção, visando a enfrentar o problema, deve ser feita por outra via, inclusive envolvendo gente capacitada – o que não foi o caso do ex-prefeito Pamplona, que fez do jeito pior possível, tanto que o resultado foi na mesma linha.

Mas agora, o Planeta Terra pode ter a certeza de que a punição compatível chegou: Marcelo Pamplona pegou 20 anos de cadeia e terá que pagar uma multa de 1 milhão e setecentos mil reais. Outras 6 pessoas também foram no pacote, ou seja, sendo condenadas por maus-tratos, na mesma ação.

A sentença é de abril passado, assinada pelo juiz Leonel Figueiredo Cavalcanti, da Comarca de Cachoeira do Arari, que abrange o termo Santa Cruz do Arari.

Nem os cachorros de Santa Cruz querem a volta de Marcelo Pamplona à Prefeitura, até mesmo porque o ex-prefeito deve prestar contas com a Justiça, agora, na etapa final, cumprindo a pena, se ela não for reduzida.

Em tempo: de acordo a Secretaria de Saúde do Pará, no Estado só há 5 Centro de Zoonoses, com a função de receber os bichinhos. Problema real. Prioridade longe! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário