segunda-feira, 18 de junho de 2018

SELEÇÃO BRASILEIRA ‘BROXA’, CONTRA A SUÍÇA..... E O TORCEDOR CAI NA ‘REAL’...


Crônica, por Alex Barroso (advogado)

Pois é..... Sabe-se que o Futebol empolga, deixa muita gente agitada, encanta e, às vezes, desencanta também, trazendo frustrações. Talvez, nessa etapa do ‘desencanta’, as coisas voltam para o lugar devido, ou melhor, a realidade bate, aponta, chega, sem muita influência do coração – claro, o Futebol também é muita emoção, porque o coração sempre está na frente, pulsando a mil.... Se esse importante órgão vier a se ‘empolgar’ muito, ele chega a induzir o sujeito a erro, fazendo dele um ‘coitado’, a lamentar aqui e acolá...

Mas, e a razão? Cadê ela? Quem a sequestrou?

O Brasil deste domingo, simplesmente achava que tudo ‘cairia do Céu’, que bastaria entrar em campo como uma Seleção que já fez adversário balançar.... no passado. Isso mesmo, no passado! Basta lembrar do que ocorreu em 2014...

Mas a Seleção brasileira, ontem, entrou em campo sem demonstrar aquele tempero que muitos já degustaram anos atrás. Até o melhor jogador, Neymar Jr., chegou meio desempolgado. Eu, particularmente (com toda a honestidade), quando vi o estilo do cabelo de Neymar, ‘amarelento’ e com uma calda ‘fuazenta’, já senti algo no ar, como se aquilo me antecipasse um resultado ‘questionável’.

Pior é que o ‘questionável’ referente ao cabelo do craque passou para os pés..... Neymar Jr., que realmente, vem de uma cirurgia, também em um dos pés, chegou a fazer muito: caiu, tentou driblar e cavar falta, sem sucesso.... Neymar também não produziu aquelas estripulias de que está acostumado a fazer, levando o adversário a perder o sentido e a paciência. O craque do PSG também tentou achar culpado, lá dentro do gramado: aqui e acolá, aquele que é considerado um dos 4 melhores jogadores do Planeta, mancou alguns passos, não se sabe se por saber que, ali, poderia estar uma ‘estratégia’ para justificar o fiasco de uma partida que, mesmo com um gol de chegada, não prometia muito.

Sim, não se pode colocar o peso do empate apenas no homem do cabelo ‘amarelento’. Neymar não fez inveja alguma a outros jogadores: outros atletas erraram muito; Marcelo foi um deles, com mais de 20 passes enviesados, num jogo que, Justiça seja feita, o adversário não jogou mal, mas não possui couraça para trombar a Seleção do penta. A Suíça sabe disso!

E como não há time bom, na frente, sem uma defesa, boa, atrás, foi nesse setor do campo que os torcedores, do Brasil e de outros países, assistiram à pior cena: Miranda, ao sentir o ‘vento’ das mãos do jogador atacante da Suíça, fez questão de não subir um palmo do chão, como se tal obrigação, naquele exato e crucial instante, tivesse sido transferida ao tal do VAR – o árbitro de vídeo, que não foi usado para que a boa novidade não aumentasse o rol da esculhambação no Futebol...

Ainda bem que tivemos o chute, certeiro, de Felipe Coutinho, daí a razão de ter sido o melhor em campo, cujo desempenho foi crucial para que a Seleção do Penta não começasse o Mundial pela porta dos fundos, em que pese ter a Alemanha perdido de 1 x 0 para o México, na sua estreia.

O VAR - árbitro-vídeo, não foi usado.... ficará para depois, quando, realmente, sua utilização for uma exigência da lógica futebolística....

Afinal, se faltou futebol, jogo em campo, neste domingo de frustração, o VAR não poderia ocupar o lugar dos atletas. Ele, o VAR, foi inventado tão somente para auxiliar a partida, não para tomar o lugar dela.   

Na próxima partida, vem Costa Rica, aquela Seleção que fez o maior sucesso na Copa de 2014, tirando grandes nomes, como Itália, Uruguai e Inglaterra... Mesmo que você se lembre disso, é bom voltar a fita!

Nenhum comentário:

Postar um comentário