sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

POLÍCIA FEDERAL FAZ BUSCA E APREENSÃO NO ESCRITÓRIO DO ADVOGADO DO ESFAQUEADOR DE JAIR BOLSONARO....

advogado Zanone... e o cliente, Adélio Bispo.

A Polícia Federal, em Minas Gerais, cumpre, nesta sexta-feira, uma diligência incomum, senão inédita: acessar um escritório de advocacia para saber a origem dos recursos que pagam a defesa do cliente.

O advogado dono do escritório é Zanone Manuel de Oliveira Junior, e o cliente é Adélio Bispo, aquele que esfaqueou o então candidato à Presidência, Jair Bolsonaro, em Juiz de Fora/MG, em 6 de setembro passado, quando o candidato estava fazendo uma caminhada, interrompida com a lesão, grave, no abdómen, que quase o levou à morte.
  
O acusado de praticar a lesão, Adélio Bispo, foi autuado em flagrante, estando preso, desde aquele mês, cuja defesa, desde lá, vem sendo patrocinada pelo escritório de Zanone Oliveira, que possui uma banca renomada que atua na área criminal.

Com o advento do patrocínio, pela banca de Zanone, boatos correram, sobre a hipótese de que os recursos da defesa têm origem ilícita, já que Adélio não possui condições financeiras conhecidas para custear os serviços jurídicos.  

Esse é o ponto ‘nevrálgico’ da questão posta a debate: quem financia e quanto custa a defesa de Adélio Bispo? Os recursos seriam lícitos ou ilícitos?

O advogado Zanone, certa vez, entrevistado, chegou a dizer que aceitou o caso “como estratégia de marketing”.
A diligência da PF, de hoje, vai tentar responder a essa importante indagação, para, a partir disso, tentar fazer uma conexão com eventuais mandantes do crime.

Agora é aguardar o que a investigação da PF vai revelar a respeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário